Suplementação com probióticos na gravidez pode reduzir risco de obesidade após o parto

A toma de suplementos com probióticos durante a gravidez pode reduzir o risco de a mulher vir a sofrer de obesidade após o período de gestação e de a criança ganhar peso em excesso, segundo um estudo publicado no European Journal of Nutrition. Os probióticos são substâncias que contêm organismos vivos benéficos para a saúde, quando tomados em doses corretas.

Suplementação com probióticos na gravidez pode reduzir risco de obesidade após o parto

Um estudo piloto realizado com uma amostra de 15 mulheres grávidas sugere que a suplementação com probióticos, durante a gravidez, pode ter influência no processo químico de metilação do ADN (ácido desoxirribonucleico), afetando alguns genes "promotores" da obesidade e ganho de peso.

Este efeito abrange tanto as mães como os bebés, traduzindo-se num mecanismo vantajoso para a saúde, a longo prazo.

Benefícios para o bebé
O desenvolvimento da flora intestinal da criança começa no útero e é influenciado pela flora intestinal da mãe. Neste sentido, os benefícios dos suplementos com probióticos na gravidez estendem-se ao bebé, contribuindo para uma evolução de peso mais saudável nos primeiros anos de vida da criança.

Equilíbrio da flora intestinal
Estudos anteriores já tinham demonstrado a influência da flora intestinal (também conhecida como microbiota intestinal) no desenvolvimento de obesidade, evidenciando uma relação entre as bactérias que vivem no intestino, o estado nutricional e o sistema imunitário.

Os probióticos têm a capacidade de restabelecer o equilíbrio da flora, melhorando assim o funcionamento geral do organismo.

Últimas Notícias

Gravidez e amamentação podem reduzir risco de menopausa precoce, diz estudo

A gravidez e a amamentação exclusiva durante sete a 12 meses podem ajudar a reduzir o risco de menopausa precoce, indica um novo estudo publicado na revista científica JAMA. A menopausa antes dos 45 anos (menopausa precoce) aumenta o risco de morte prematura, declínio cognitivo, osteoporose e doença cardiovascular.

Consumo combinado de álcool e tabaco na gravidez aumenta risco de Síndrome da Morte Súbita do Lactente

As crianças cujas mães beberam e fumaram para além do primeiro trimestre de gravidez têm um risco 12 vezes superior de Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL), comparativamente com as crianças que não estiveram expostas a álcool e tabaco ou cuja exposição a estas substâncias se restringiu ao primeiro trimestre de gestação. A conclusão é de um estudo publicado na revista científica online EclinicalMedicine.

Novo algoritmo prevê risco de diabetes gestacional

Um novo algoritmo informático de análise de dados, desenvolvido por cientistas do Weizmann Institute of Science, está a ser utilizado para ajudar a identificar mulheres em elevado risco de desenvolver diabetes gestacional. Esta ferramenta pode ser útil para identificar o risco antes da gravidez ou numa fase inicial do período de gestação, permitindo a adoção de medidas de prevenção da doença, como cuidados nutricionais ou alterações do estilo de vida.

Música poderá estimular desenvolvimento de bebés prematuros

Cientistas do Hospital Universitário de Genebra, na Suíça, tiveram a ideia de   colocar música no serviço de neonatologia, especialmente composta para estimular o desenvolvimento da atividade cerebral dos recém-nascidos prematuros.

Bebé no útero reage à luz antes do que se pensava

No segundo trimestre de gravidez, muito antes de conseguir ver imagens, o bebé consegue já detetar luz.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.