Suplementação com ácido fólico previne atrasos de linguagem nas crianças cujas mães têm epilepsia

A medicação para o controlo de crises epiléticas na gravidez pode aumentar o risco de atrasos no desenvolvimento da linguagem na criança. Contudo, a suplementação nutricional com ácido fólico durante a gestação reduz este risco para metade, de acordo com um novo estudo publicado na revista científica Neurology.

Suplementação com ácido fólico previne atrasos de linguagem nas crianças cujas mães têm epilepsia

De acordo com uma notícia publicada no portal Medical Xpress, este estudo norueguês analisou uma amostra de 335 crianças cujas mães tinham epilepsia e tomaram medicamentos para controlar a doença durante a gravidez. O estudo incluiu também 104 000 crianças cujas mães não sofriam de epilepsia.

"O risco de atraso na linguagem diminuiu para metade - o benefício do ácido fólico nesta situação é impressionante", sublinha Mitchell Kramer, médico ginecologista-obstetra.

O especialista refere ainda que é importante aconselhar as mulheres grávidas em geral para incluirem no seu plano alimentar a suplementação com ácido fólico. Contudo, esta recomendação é especialmente importante em mulheres que fazem medicação para a epilepsia.

A suplementação com ácido fólico pode ser decisiva para a maturação do sistema nervoso central do feto e para a redução do risco de problemas no desenvolvimento do tubo neural do bebé.

De acordo com a Direção-Geral de Saúde, o aporte de ácido fólico antes e durante a gravidez deve ser reforçado, sendo que uma alimentação saudável não é suficiente para manter níveis adequados desta vitamina. De acordo com a entidade de saúde, a suplementação com ácido fólico em 400 µg/dia deve ser iniciada pelo menos dois meses antes da data de interrupção do método contracetivo e manter-se ao longo de toda a gravidez. Nas grávidas com epilepsia, a dose de ácido fólico administrada pode ter de ser superior.

Últimas Notícias

Música poderá estimular desenvolvimento de bebés prematuros

Cientistas do Hospital Universitário de Genebra, na Suíça, tiveram a ideia de   colocar música no serviço de neonatologia, especialmente composta para estimular o desenvolvimento da atividade cerebral dos recém-nascidos prematuros.

Bebé no útero reage à luz antes do que se pensava

No segundo trimestre de gravidez, muito antes de conseguir ver imagens, o bebé consegue já detetar luz.

Poluição do ar pode aumentar risco de aborto espontâneo, diz estudo

Investigação publicada na revista científica Nature Sustainability indica que a exposição a um ar poluído durante a gravidez está associada a um risco acrescido de aborto espontâneo no primeiro trimestre de gravidez.

Bebés compreendem conceito dos números muito antes de conseguirem contar, diz estudo

Novo estudo da Universidade Johns Hopkins sugere que os bebés são capazes de compreender o conceito de contagem, anos antes de conseguirem dizer "1, 2, 3".

Demasiada cafeína na gravidez pode afetar fígado do bebé

Novo estudo indica que a ingestão excessiva de cafeína na gravidez pode prejudicar o desenvolvimento do fígado do bebé e aumentar o risco de doença hepática na idade adulta. 

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.