Pais estão hoje mais envolvidos na educação dos filhos do que antigamente

Atualmente os pais despendem mais tempo, prestam mais cuidados e são mais afetuosos com as crianças do que no passado, sugere um estudo publicado no Journal of Marriage and Family

Pais estão hoje mais envolvidos na educação dos filhos do que antigamente

A investigação concluiu que, seja num jogo de futebol, num recital de piano, ou em momentos difíceis que exijam apoio emocional, parece haver uma mudança na forma como os pais perspetivam os seus papéis na educação da criança.

«A maior parte dos pais veem-se como tendo um papel tão importante como as mães no apoio aos filhos. Contudo, existe um grupo de pais que acreditam ser apenas chefes de família, tendo unicamente a função de exercer disciplina», afirma o sociólogo e professor Kevin Shafer, um dos autores do estudo.

A investigação avaliou uma amostra de 2194 pais de crianças entre os dois e os 18 anos de idade, habitantes nos Estados Unidos da América.

Os resultados sugerem ainda que as expectativas sobre o papel do pai na educação da criança estão em constante transformação nos dias de hoje.

«À medida que as atuais tendências sociais pressionam os homens no sentido de terem um maior envolvimento familiar, vemos cada vez mais pais a mobilizarem-se para intervir de forma ativa na vida dos filhos. Ao mesmo tempo que ensinamos os rapazes e homens a serem mais conscientes emocionalmente e a cultivarem o bem-estar emocional, estes ganham competências para se tornarem melhores pais, capazes de contribuir não apenas financeiramente para o bem-estar dos filhos, mas também emocionalmente e mentalmente», acrescenta Kevin Shafer.

Últimas Notícias

Gravidez e amamentação podem reduzir risco de menopausa precoce, diz estudo

A gravidez e a amamentação exclusiva durante sete a 12 meses podem ajudar a reduzir o risco de menopausa precoce, indica um novo estudo publicado na revista científica JAMA. A menopausa antes dos 45 anos (menopausa precoce) aumenta o risco de morte prematura, declínio cognitivo, osteoporose e doença cardiovascular.

Consumo combinado de álcool e tabaco na gravidez aumenta risco de Síndrome da Morte Súbita do Lactente

As crianças cujas mães beberam e fumaram para além do primeiro trimestre de gravidez têm um risco 12 vezes superior de Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL), comparativamente com as crianças que não estiveram expostas a álcool e tabaco ou cuja exposição a estas substâncias se restringiu ao primeiro trimestre de gestação. A conclusão é de um estudo publicado na revista científica online EclinicalMedicine.

Novo algoritmo prevê risco de diabetes gestacional

Um novo algoritmo informático de análise de dados, desenvolvido por cientistas do Weizmann Institute of Science, está a ser utilizado para ajudar a identificar mulheres em elevado risco de desenvolver diabetes gestacional. Esta ferramenta pode ser útil para identificar o risco antes da gravidez ou numa fase inicial do período de gestação, permitindo a adoção de medidas de prevenção da doença, como cuidados nutricionais ou alterações do estilo de vida.

Música poderá estimular desenvolvimento de bebés prematuros

Cientistas do Hospital Universitário de Genebra, na Suíça, tiveram a ideia de   colocar música no serviço de neonatologia, especialmente composta para estimular o desenvolvimento da atividade cerebral dos recém-nascidos prematuros.

Bebé no útero reage à luz antes do que se pensava

No segundo trimestre de gravidez, muito antes de conseguir ver imagens, o bebé consegue já detetar luz.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.