Nem a mais nem a menos: especialistas lembram importância de gerir peso na gravidez

Um estudo publicado na revista Nature indica que a maioria das grávidas não quer ganhar muito peso durante a gravidez.

Nem a mais nem a menos: especialistas lembram importância de gerir peso na gravidez

Segundo a investigação que analisou as perspetivas de 1700 mulheres japonesas, duas motivações contribuem para esta tendência: em primeiro lugar, a ideia de que quanto menos quilos ganharem na gravidez, menos quilos terão de perder após o nascimento do bebé. A outra ideia comum entre a futuras mães é que manter-se magra facilita o parto.

Os investigadores salientam que estas ideias são falsas: «as mulheres que se mantêm magras não apresentam menor risco de necessidade de um parto por cesariana e não têm maior facilidade em perder peso após o parto».

O estudo salienta ainda que não ganhar peso suficiente ou, em oposição, engordar demasiado pode ter consequências para a saúde de mãe e bebé.

O ganho de peso ideal ao longo das 40 semanas de gestação varia de mãe para mãe, e o cálculo deste valor depende do Índice de Massa Corporal (IMC) da mulher antes de engravidar.

De acordo com uma tabela publicada em 2009 pelo Institute of Medicine, se o IMC da mulher antes de engravidar se situar entre os 18,5 kg/m2 e os 24,9 kg/m2, ou seja, se a mulher apresentar um peso normal, é recomendado um ganho de peso total entre os 11,5 kg e os 16 kg durante a gravidez.

Em média, com exceção dos casos de mulheres com baixo peso ou obesidade, a generalidade das grávidas devem adquirir cerca de 12 kg durante o período de gestação.

Últimas Notícias

Consumo combinado de álcool e tabaco na gravidez aumenta risco de Síndrome da Morte Súbita do Lactente

As crianças cujas mães beberam e fumaram para além do primeiro trimestre de gravidez têm um risco 12 vezes superior de Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL), comparativamente com as crianças que não estiveram expostas a álcool e tabaco ou cuja exposição a estas substâncias se restringiu ao primeiro trimestre de gestação. A conclusão é de um estudo publicado na revista científica online EclinicalMedicine.

Novo algoritmo prevê risco de diabetes gestacional

Um novo algoritmo informático de análise de dados, desenvolvido por cientistas do Weizmann Institute of Science, está a ser utilizado para ajudar a identificar mulheres em elevado risco de desenvolver diabetes gestacional. Esta ferramenta pode ser útil para identificar o risco antes da gravidez ou numa fase inicial do período de gestação, permitindo a adoção de medidas de prevenção da doença, como cuidados nutricionais ou alterações do estilo de vida.

Música poderá estimular desenvolvimento de bebés prematuros

Cientistas do Hospital Universitário de Genebra, na Suíça, tiveram a ideia de   colocar música no serviço de neonatologia, especialmente composta para estimular o desenvolvimento da atividade cerebral dos recém-nascidos prematuros.

Bebé no útero reage à luz antes do que se pensava

No segundo trimestre de gravidez, muito antes de conseguir ver imagens, o bebé consegue já detetar luz.

Poluição do ar pode aumentar risco de aborto espontâneo, diz estudo

Investigação publicada na revista científica Nature Sustainability indica que a exposição a um ar poluído durante a gravidez está associada a um risco acrescido de aborto espontâneo no primeiro trimestre de gravidez.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.