Gravidez torna a voz da mulher temporariamente mais grave

Escrito por: Michelle Tomás

Um estudo publicado na revista Evolution & Human Behaviour avança que depois da gravidez, a mulher fica com um tom de voz mais grave e monótona.

Gravidez torna a voz da mulher temporariamente mais grave

Estudos anteriores já tinham verificado que a tonalidade da voz da mulher poderia aumentar com a fertilidade, verificando-se uma alteração no tom durante todos os meses durante o período da ovulação e uma diminuição do mesmo, mais tarde, com a menopausa.

Um novo estudo veio provar que se verificam também mudanças na tonalidade da voz durante, aproximadamente, um ano após a gravidez.

Os investigadores apresentam duas possíveis justificações para esta mudança no tom da voz: uma tentativa de dar à mulher uma voz mais autoritária em resposta ao seu novo papel de mãe; ou devido à queda abrupta dos níveis das principais hormonas sexuais que poderá exercer uma influência na dinâmica vocal.

Para este estudo foi recolhida uma amostra de 20 mães cuja voz tinha uma presença preponderante nas suas vidas: cantoras, jornalistas, atrizes e celebridades. Os resultados provaram que o tom de voz médio das mulheres, após a gravidez, diminuía mais de 5 por cento, percentagem que equivale a cerca de 1,3 semitons.

Últimas Notícias

Consumo combinado de álcool e tabaco na gravidez aumenta risco de Síndrome da Morte Súbita do Lactente

As crianças cujas mães beberam e fumaram para além do primeiro trimestre de gravidez têm um risco 12 vezes superior de Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL), comparativamente com as crianças que não estiveram expostas a álcool e tabaco ou cuja exposição a estas substâncias se restringiu ao primeiro trimestre de gestação. A conclusão é de um estudo publicado na revista científica online EclinicalMedicine.

Novo algoritmo prevê risco de diabetes gestacional

Um novo algoritmo informático de análise de dados, desenvolvido por cientistas do Weizmann Institute of Science, está a ser utilizado para ajudar a identificar mulheres em elevado risco de desenvolver diabetes gestacional. Esta ferramenta pode ser útil para identificar o risco antes da gravidez ou numa fase inicial do período de gestação, permitindo a adoção de medidas de prevenção da doença, como cuidados nutricionais ou alterações do estilo de vida.

Música poderá estimular desenvolvimento de bebés prematuros

Cientistas do Hospital Universitário de Genebra, na Suíça, tiveram a ideia de   colocar música no serviço de neonatologia, especialmente composta para estimular o desenvolvimento da atividade cerebral dos recém-nascidos prematuros.

Bebé no útero reage à luz antes do que se pensava

No segundo trimestre de gravidez, muito antes de conseguir ver imagens, o bebé consegue já detetar luz.

Poluição do ar pode aumentar risco de aborto espontâneo, diz estudo

Investigação publicada na revista científica Nature Sustainability indica que a exposição a um ar poluído durante a gravidez está associada a um risco acrescido de aborto espontâneo no primeiro trimestre de gravidez.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.