Gravidez e amamentação podem reduzir risco de menopausa precoce, diz estudo

A gravidez e a amamentação exclusiva durante sete a 12 meses podem ajudar a reduzir o risco de menopausa precoce, indica um novo estudo publicado na revista científica JAMA. A menopausa antes dos 45 anos (menopausa precoce) aumenta o risco de morte prematura, declínio cognitivo, osteoporose e doença cardiovascular.

Gravidez e amamentação podem reduzir risco de menopausa precoce, diz estudo

Segundo uma notícia publicada no site dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos da América (NIH), a gravidez e a amamentação exclusiva durante sete a 12 meses pode reduzir o risco de menopausa precoce, a menopausa que surge antes dos 45 anos de idade.

A equipa de investigação financiada pelos NIH analisou informação de mais de 100 000 mulheres entre os 25 e os 42 anos de idade. Entre 1989 e 2015, as participantes responderam a questionários pormenorizados, fornecendo informação sobre a sua saúde e historial clínico, nomeadamente sobre a gravidez e o período pós-parto, no caso das mulheres que estiveram grávidas.

Os resultados permitiram concluir que, comparativamente com as mulheres que nunca estiveram grávidas ou que estiveram grávidas durante menos de seis meses, as mulheres que tiveram uma gravidez de termo apresentaram um risco 8% inferior de menopausa precoce.

As mulheres que engravidaram mais do que uma vez apresentaram um risco 16% inferior, e as mulheres que engravidaram três vezes têm um risco 22% inferior de menopausa precoce.

Segundo o estudo, as mulheres que amamentaram em exclusivo os seus bebés durante sete a 12 meses demonstraram um risco 28% inferior de menopausa precoce, comparativamente com as mulheres que amamentaram durante menos de um mês.

Estudos anteriores demonstraram que o surgimento da menopausa antes dos 45 anos de idade (menopausa precoce) aumenta o risco de morte prematura, declínio, osteoporose e doença cardiovascular.

Últimas Notícias

Oito formas de demonstrar amor pelo seu filho, segundo a Academia Americana de Pediatria

Com o aproximar do Dia de São Valentim, a Academia Americana de Pediatria (AAP) lança o apelo para que os pais nutram os seus filhos com amor e atenção durante todo o ano.

Consumo combinado de álcool e tabaco na gravidez aumenta risco de Síndrome da Morte Súbita do Lactente

As crianças cujas mães beberam e fumaram para além do primeiro trimestre de gravidez têm um risco 12 vezes superior de Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL), comparativamente com as crianças que não estiveram expostas a álcool e tabaco ou cuja exposição a estas substâncias se restringiu ao primeiro trimestre de gestação. A conclusão é de um estudo publicado na revista científica online EclinicalMedicine.

Novo algoritmo prevê risco de diabetes gestacional

Um novo algoritmo informático de análise de dados, desenvolvido por cientistas do Weizmann Institute of Science, está a ser utilizado para ajudar a identificar mulheres em elevado risco de desenvolver diabetes gestacional. Esta ferramenta pode ser útil para identificar o risco antes da gravidez ou numa fase inicial do período de gestação, permitindo a adoção de medidas de prevenção da doença, como cuidados nutricionais ou alterações do estilo de vida.

Música poderá estimular desenvolvimento de bebés prematuros

Cientistas do Hospital Universitário de Genebra, na Suíça, tiveram a ideia de   colocar música no serviço de neonatologia, especialmente composta para estimular o desenvolvimento da atividade cerebral dos recém-nascidos prematuros.

Bebé no útero reage à luz antes do que se pensava

No segundo trimestre de gravidez, muito antes de conseguir ver imagens, o bebé consegue já detetar luz.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.