Carência de iodo pode reduzir fertilidade

As mulheres com défice moderado a grave de iodo podem demorar mais tempo a engravidar, comparativamente com as mulheres que apresentam reservas adequadas deste micronutriente, indica um estudo publicado na revista científica Human Reproduction.

Carência de iodo pode reduzir fertilidade

De acordo com uma notícia publicada no portal dos National Institutes of Health (NIH), agência governamental dos Estados Unidos da América (EUA), a equipa de investigação analisou informação de cerca de 500 casais a tentar engravidar, entre 2005 e 2009. A amostra faz parte de um estudo mais alargado, (Longitudinal Investigation of Fertility and the Environment - LIFE), que procurava analisar a relação entre a fertilidade, estilo de vida e exposição a fatores ambientais.

Os resultados permitiram verificar que as mulheres com carência moderada a grave de iodo apresentavam menos 46 por cento de hipóteses de engravidar durante o ciclo menstrual, comparativamente com as mulheres com níveis adequados de iodo.

O iodo é um elemento natural fundamental para a produção das hormonas geradas pela glândula Tiroide (Hormonas Tiroideias). Na preconceção, gravidez e na amamentação as necessidades de iodo estão aumentadas.

Tendo em conta a prevalência da deficiência de iodo na população portuguesa, as organizações de saúde internacionais e a Direção-Geral de Saúde propõem que se faça suplementação nutricional com 150 microgramas de iodo diários.

Últimas Notícias

Música poderá estimular desenvolvimento de bebés prematuros

Cientistas do Hospital Universitário de Genebra, na Suíça, tiveram a ideia de   colocar música no serviço de neonatologia, especialmente composta para estimular o desenvolvimento da atividade cerebral dos recém-nascidos prematuros.

Bebé no útero reage à luz antes do que se pensava

No segundo trimestre de gravidez, muito antes de conseguir ver imagens, o bebé consegue já detetar luz.

Poluição do ar pode aumentar risco de aborto espontâneo, diz estudo

Investigação publicada na revista científica Nature Sustainability indica que a exposição a um ar poluído durante a gravidez está associada a um risco acrescido de aborto espontâneo no primeiro trimestre de gravidez.

Bebés compreendem conceito dos números muito antes de conseguirem contar, diz estudo

Novo estudo da Universidade Johns Hopkins sugere que os bebés são capazes de compreender o conceito de contagem, anos antes de conseguirem dizer "1, 2, 3".

Demasiada cafeína na gravidez pode afetar fígado do bebé

Novo estudo indica que a ingestão excessiva de cafeína na gravidez pode prejudicar o desenvolvimento do fígado do bebé e aumentar o risco de doença hepática na idade adulta. 

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.