Amamentar durante seis meses ou mais reduz risco de diabetes

Um estudo que analisou dados apurados ao longo de 30 anos concluiu que o aleitamento materno durante pelo menos seis meses reduz o risco de desenvolver diabetes tipo 2. A conclusão foi divulgada num artigo publicado na revista científica JAMA Internal Medicine.

Amamentar durante seis meses ou mais reduz risco de diabetes

Segundo uma notícia do portal Science Daily, o risco de diabetes é reduzido para metade nas mulheres em idade fértil. As mulheres que amamentam durante seis meses ou mais têm um risco 47 por cento inferior de desenvolver a doença, comparativamente com as mulheres que não amamentam de todo. As mulheres que amamentam durante um período inferior a seis meses também conseguem alguma proteção extra contra a diabetes, apresentando um risco 25 por cento menor de desenvolver este problema de saúde.

"Verificámos uma associação muito forte entre a duração da amamentação e um menor risco de desenvolver diabetes, depois de excluirmos todos os fatores que poderiam criar confusão", explica Erica Gunderson, principal autora do estudo, segundo o Science Daily.

De acordo com os autores, estes novos resultados reforçam a evidência científica de que a amamentação tem um efeito protetor da saúde da mãe e da criança.

Últimas Notícias

Demasiada cafeína na gravidez pode afetar fígado do bebé

Novo estudo indica que a ingestão excessiva de cafeína na gravidez pode prejudicar o desenvolvimento do fígado do bebé e aumentar o risco de doença hepática na idade adulta. 

Exercício-físico na gravidez restabelece principais tecidos do corpo em mulheres obesas

Estudo da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, indica que a prática de exercício-físico imediatamente antes e durante a gravidez ajuda a restaurar os principais tecidos do organismo em mulheres obesas, contribuindo para uma melhor gestão dos níveis de açúcar no sangue e reduzindo o risco de problemas de saúde a longo prazo.

Mortalidade infantil atinge valores mais baixos desde que há registo

Segundo dados recentes apresentados pelo Instituto Nacional de Estatística, a taxa de mortalidade infantil diminuiu cerca de 0,7% em 2017, atingindo o valor mais baixo de que há registo em Portugal.

Gargalhadas dos bebés semelhantes à dos macacos

Bebés mais novos riem-se como outros primatas. O ser humano é o único que se ri por meio da exalação, ou seja, o ato de expelir ou soltar.

Estudo sugere que crianças memorizam sons durante a sesta

Cientistas analisaram o que as crianças ouvem ou não durante o sono, concluindo que o ambiente sonoro durante as sestas não passa despercebido e gera memórias.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.