Alterações na visão

Escrito por: Maria João Pratt
Com os depoimentos e revisão de: Dr. Paulo Kaku, Oftalmologista

Durante a gravidez a capacidade visual da mulher pode ser afetada. Saiba quais as principais alterações que podem ocorrer relacionadas com a saúde dos olhos.

Alterações na visão  class=

A gravidez pode ter repercussões ao nível da visão. Segundo o médico especialista em Oftalmologia Paulo Kaku, as alterações nos olhos podem surgir na gravidez e desaparecer após o parto. Também poderá ser necessário realizar tratamentos específicos.

A gravidez pode ter repercussões ao nível da visão. Segundo o médico especialista em oftalmologia Paulo Kaku, as alterações nos olhos podem surgir na gravidez e desaparecer após o parto. Também poderá ser necessário realizar tratamentos específicos.

Durante os nove meses de gravidez, são considerados sintomas comuns nos olhos, tais como desconforto provocado pelas lentes de contacto, mudanças no grau, olho seco, inchaço nas pálpebras e maior sensibilidade à luz.  

Embora não seja mandatório consultar o oftalmologista antes de engravidar, é aconselhável realizar uma consulta nos casos em que usa óculos ou lentes de contacto, aconselha o médico Paulo Kaku. Há duas situações em que é aconselhável que a mulher que planeia ter um filho recorra previamente ao oftalmologista, nomeadamente a hipertensão arterial e a diabetes. “São doenças pré-existentes que, quando não controladas durante a gravidez, poderão provocar alterações a nível visual”, refere o médico.

E acrescenta: “Se o médico que acompanha a mulher grávida suspeitar que há alguma situação que possa eventualmente vir a ter repercussões a nível visual, aconselha-se a ida ao oftalmologista.”

Agravamento das doenças oculares

O mais frequente é haver um agravamento da miopia, principalmente no último trimestre de gravidez. “Da mesma forma que há retenção de líquidos e as pernas incham, por exemplo, a córnea também aumenta de volume e tal situação aumenta a miopia”, refere o médico. No entanto, o especialista refere que “este aumento do grau de miopia pode ser reversível” após o termo do período de amamentação. Como tal, o médico Paulo Kaku considera que é recomendável aguardar pelo final do período de amamentação para retificar a graduação, de forma a não correr o risco de deixar de ser adequada.

Em algumas grávidas poderá ocorrer, também, uma alteração da visão ao perto, isto é, a vista cansar-se mais facilmente.

No caso de a vista se tornar muito seca, e para minimizar o risco de inflamação, o médico aconselha a utilização de um lubrificante (lágrimas artificiais). Para além de ser inócuo para o bebé em formação, pode aliviar o desconforto das grávidas portadoras de lentes de contacto.

Doenças oculares e o parto

A ideia de que certas doenças oculares podem ditar o tipo de parto a realizar é frequentemente discutida pelos especialistas. Nomeadamente no caso das altas miopias, a partir das cinco ou seis dioptrias, alguns oftalmologistas receiam que possa ocorrer descolamento de retina ou outras alterações a nível da retina com o esforço do parto. No entanto, tal situação não se verifica com frequência. O médico Paulo Kaku considera que as futuras mães com miopias acima das quatro dioptrias que pretendam fazer um parto normal devem ser vistas por um oftalmologista, com exame do fundo do olho, com dilatação. Se forem identificadas zonas na retina que possam colocar em risco ou que possam eventualmente potenciar um descolamento de retina, aconselha-se que sejam tratadas profilaticamente antes de fazer o parto.

Também as mulheres operadas com laser para correção da miopia poderão ter de voltar a usar óculos não para todo o dia, mas para o esforço visual (óculos de descanso).

Outros Artigos deste tema

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.