Ser mãe, ser mulher

Escrito por: Ana Margarida Marques
Com os depoimentos e revisão de: Dra. Ana Chung, Ginecologista-Obstetra

O pós-parto é um momento de adaptação da mulher ao seu papel materno. Saiba o que muda na intimidade da mulher e do casal e como ultrapassar os principais desafios.

Ser mãe, ser mulher class=

A consulta pós-parto é um marco importante que ocorre quatro a seis semanas a seguir ao parto. O estado geral da saúde, o reinício da atividade sexual, a contraceção e a amamentação são os principais pontos focados na revisão efetuada pelo médico. É normal surgirem queixas ou desconfortos femininos, os quais devem ser desmitificados pela mulher que assume um novo papel: a figura materna.

Os especialistas na área referem que o parto poderá ter implicações no ato sexual durante os primeiros tempos, quer seja vaginal ou por cesariana. “Não existe propriamente um intervalo de tempo adequado para o reinício da vida sexual do casal, no entanto, na maioria dos casos a vida sexual é reiniciada após a avaliação do médico”, na consulta pós-parto, refere a médica obstetra Ana Chung, aconselhando a mulher a avaliar também ela a sua condição física e emocional para retomar a vida sexual.

Intimidade feminina

É normal surgirem alterações na líbido no pós-parto. Segundo a médica obstetra Ana Chung, “o cansaço, as alterações corporais que ainda permanecem durante algumas semanas após o parto e que perturbam a autoestima da mulher, o medo da penetração nos casos em que houve episiotomia (corte efetuado no parto) são alguns dos motivos que interferem no reinício da vida sexual”.  

Do ponto de vista funcional, secundariamente a alterações hormonais da amamentação, a vagina torna-se menos lubrificada, podendo dificultar a penetração. Por vezes, a própria cicatrização da episiotomia pode também ser motivo de algum desconforto temporário, explica a médica Ana Chung. Um conselho importante é que o uso de um hidratante vaginal ou lubrificante pode minimizar esse desconforto. Mas não deve ter motivos para alarme, garante a médica: “as alterações da sensibilidade no ato sexual vão desaparecendo e tudo regressará ao normal”.  

Por outro lado, nos primeiros tempos a seguir ao parto a mulher fica muito focalizada na sua função materna. “Depois do bebé nascer a mãe descansa muito pouco, pois está unicamente vocacionada para aquele ser”, explica a obstetra Ana Chung, continuando: “Muitas vezes o corpo está preparado para reiniciar a atividade sexual, mas não há disponibilidade emocional para o relacionamento.”

É incontornável que o bebé deve ter um papel central na vida dos pais durante os primeiros tempos. O bebé precisa dos cuidados de alimentação e higiene que vão garantir a sua sobrevivência. O seu bem-estar e conforto dependem unicamente dos seus cuidadores. A partir do momento em que as rotinas começam a ser apreendidas pelos pais e pelo bebé, alerta a médica obstetra, “a mulher deve ter atenção para evitar centrar-se apenas na criança e não colocar o companheiro num plano secundário”. O pós-parto deve ser um momento exclusivo do bebé no início, mas a mulher deve começar a pensar reservar algum espaço para si e para o seu companheiro.

A relação a dois

“É muito importante cultivar a relação de casal a seguir ao pós-parto”. O conselho é da médica Ana Chung, que incentiva as mães a procurarem estratégias no sentido de cuidar do relacionamento a dois. Geralmente, muito do tempo passado do casal destina-se a cuidar dos interesses dos filhos. Os pais devem também “conversar sobre assuntos diferentes” ou “saírem juntos sem levar o bebé consigo”.

De acordo com a obstetra, muitas mães sentem culpa por desejarem estar a sós com os companheiros sem os seus bebés. A este respeito, o conselho é que vivenciem sem receios a sua intimidade. É a forma de a mãe se sentir bem e gozar a sua maternidade de forma saudável.

É também aconselhado esclarecer com o médico as suas dúvidas acerca da sexualidade, bem como sobre a eficácia dos métodos de contraceção durante o pós-parto.  

A incontinência urinária na mulher é uma consequência de diversos fatores, que pode ser provocada durante a gravidez ou por lesões do parto. Quaisquer queixas ou desconfortos no pós-parto, nomeadamente de incontinência ou dor no ato sexual, devem ser comunicados ao médico que poderá reencaminhar para um profissional da fisioterapia especializado na área da reeducação do períneo, musculatura essencial na saúde da mulher. 

Outros Artigos deste tema

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.