Poderá a grávida ter acompanhante no parto?

Escrito por: Dr.ª Mariana Mouraz, especialista em Ginecologia e Obstetrícia do Centro de Saúde Militar de Coimbra.

Conheça a realidade das maternidades portuguesas.

Poderá a grávida ter acompanhante no parto? class=

Apesar de sabermos que a presença de um acompanhante no momento do parto, para fornecer apoio físico e emocional, é cada vez mais reconhecida como benéfica para mãe e bebé, as circunstâncias trazidas pela pandemia da COVID-19 trouxeram novas regras quanto à presença de um acompanhante durante o parto. Contudo, há já um conjunto de instituições de saúde que voltaram a permitir a presença do acompanhante no bloco de partos, com as devidas precauções, e com diferentes abordagens.
As informações aqui publicadas foram gentilmente cedidas por profissionais de saúde e por grávidas em acompanhamento nas respetivas maternidades.
Uma chamada de atenção no que diz respeito à volatilidade dos dados, o que está na hora da publicação pode já não corresponder à da hora da leitura.

Obrigada a todos que já contribuíram e tudo a correr bem!

ACOMPANHANTE PODE ASSISTIR AO PARTO E FICA ATÉ TEREM ALTA (MAS NÃO PODE SAIR):
• Hospital da Luz
• Rede CUF (se mãe negativa e acompanhante sem sintomas, o acompanhamento do período expulsivo só será possível nos casos em que seja permitida uma distância de 1,5m entre pessoas)
• Lusíadas Lisboa (só assiste se parto programado e teste negativo, fica durante todo o internamento, mas se sair não volta a entrar; se parto não programado não há acompanhante na expulsão e nas duas horas após parto)
• Hospital Privado na Trofa (Trofa Saúde) (só assiste ao trabalho de parto e permanece no internamento se teste negativo) Hospital Privado da Boa Nova, Perafita NÃO FAZ PARTOS
• Casa de Saúde da Boavista, Porto (só assiste ao trabalho de parto e permanece no internamento se teste negativo)
• Clínica de Stº António – Lusíadas Saúde, Reboleira (parto nesta instituição só em grávidas COVID negativas, maioria dos partos programados, presença de acompanhante se teste negativo
• Hospital de Braga (pode assistir ao parto se teste negativo e após a fase ativa do trabalho de parto, pode permanecer no internamento, não pode sair)

ACOMPANHANTE PERMITIDO NO BLOCO DE PARTOS:
• Centro Hospitalar do Médio-Ave, Famalicão (pode assistir ao parto, depois não são permitidas mais visitas)
• Hospital Pedro Hispano, Matosinhos (apenas para assistir ao parto e nas 2h seguintes após o parto, não assiste a cesariana e só pode ver o bebé no fim, não são permitidas visitas no internamento)
• Centro Hospitalar Póvoa do Varzim/Vila do Conde (pode assistir desde a fase ativa do trabalho de parto, parto e nas 2h seguintes após o parto, no caso de cesariana poderá conhecer o bebé no recobro, não há visitas no internamento)
• Hospital da Guarda (o acompanhante entra imediatamente antes do parto e sai logo depois do bebé nascer 15/20min, pode ainda entrar no serviço de obstetrícia das 12-20h)
• Ordem da Lapa, Porto (não pode assistir ao parto, mas antes e depois do parto poderá sempre acompanhar a mãe até à alta, não pode sair)
• Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, Penafiel (pode acompanhar no bloco de partos, assistir ao parto e visitar no internamento 2h/dia)
• Hospital São João, Porto (se grávida negativa para COVID-19 poderá ter acompanhante no trabalho de parto. Após o parto, visita entre as 16h e as 19h.)
• Hospital Santa Maria, Lisboa (acompanhante durante o parto e nas duas horas seguintes ao nascimento do bebé, só poderá entrar uma vez na sala de partos – querendo sair, não poderá voltar a entrar)
• Hospital de Guimarães (pode assistir ao período expulsivo e ficar com até à ida para o internamento)
• Centro Hospitalar Entre Douro e Vouga, Santa Maria da Feira (pode assistir ao parto se se encontrar assintomático e sem histórico de contactos com pessoas com COVID-19 e só após os 6cm de dilatação e nas 2h após o parto, não assiste a cesarianas)
• Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia (pode assistir se teste negativo, após os 6cm e até 2horas após o parto, visita das 15-17h)
• Centro Materno Infantil do Norte, Porto (pode assistir se teste negativo, visita das 15-18h)

NÃO É PERMITIDO ACOMPANHANTE NO BLOCO DE PARTOS, MAS PODE VISITAR:
• Hospital de Vila Franca de Xira (das 12h às 16h)
• Centro Hospitalar Barreiro-Montijo (das 14-16h)
• Hospital São Bernardo, Setúbal (1 vez, das 14-15h)
• Hospital de São Teotónio, Viseu (14h30-15h30)
• Hospital de São Sebastião, Santa Maria da Feira (10min para conhecer, se parto depois das 22h só pode visitar no dia a seguir)
• Hospital de Santarém (cerca de 1h/dia)
• Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto-Douro, Vila Real (pode visitar 1h após o parto entre as 11 e as 16h)
• Hospital Nélio Mendonça, Madeira (pode visitar 11-13h30)
• Hospital da Covilhã (pode visitar das 18-19h30)

HOSPITAIS SEM ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO, MAS EM QUE O ACOMPANHANTE PODE VER O BEBÉ NA PASSAGEM PARA O QUARTO, NÃO HÁ VISITAS:
• Hospital ULSAM, Viana do Castelo (30 min após o parto)
• Hospital Garcia de Orta, Almada
• Hospital da Ilha Terceira
• Hospital das Caldas da Rainha (acompanhante pode estar uma hora com o bebé e a mãe depois do parto)
• Hospital Beatriz Ângelo, Loures (2h após o parto)
• Hospital de Portalegre
• Hospital São Francisco Xavier, Lisboa
• Centro Hospitalar do Médio Tejo, Torres Novas

HOSPITAIS SEM ACOMPANHAMENTO OU VISITAS (SÓ APÓS A ALTA):
• Maternidade Alfredo da Costa, Lisboa
• Hospital Santo André, Leiria
• Hospital de Cascais
• Centro Hospitalar Universitário do Algarve, Unidade de Faro e Portimão
• Maternidade Doutor Daniel de Matos, se grávida COVID+ será transferida para a Maternidade Bissaya Barreto
• Maternidade Bissaya Barreto
• Hospital do Divino Espírito Santo, Ponta Delgada
• Hospital de Évora
• Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, Amadora-Sintra
• Hospital Particular do Algarve
• Hospital de Beja
• Hospital Amato Lusitano, Castelo Branco
• Centro Hospitalar Baixo Vouga, Aveiro

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.