Medidas de conforto para pernas e pés inchados

Escrito por: Paula Braga
Com os depoimentos e revisão de: Catarina Nunes, fisioterapeuta

Não desespere com as pernas e os pés inchados durante a gravidez. Há cuidados que ajudam a prevenir ou a minimizar o desconforto. 

Medidas de conforto para pernas e pés inchados class=

Face a um aumento no volume do sangue durante a gestação e a pressão do útero em crescimento, é comum as pernas e os pés das futuras mamãs incharem. No último trimestre da gravidez, em especial a partir do quinto mês de gestação, o inchaço ou edema tende a aumentar e ocorre progressivamente ao longo do dia, intensificando-se no começo da noite. O verão é, por norma, a estação do ano em que as reclamações aumentam por parte das grávidas. 

Passos para prevenir ou minimizar

O último trimestre não é fácil e há muitas grávidas a viver o tormento das pernas e pés inchados. Além do aspeto inestético, os edemas causam um enorme desconforto com pernas muito pesadas e, por vezes, com sofrimento associado. Para atenuar ou mesmo evitar estas situações, a fisioterapeuta Catarina Nunes recomenda que a grávida não se sente de pernas cruzadas e durante longos períodos de tempo, mas caso o emprego assim o exija, é importante fazer pausas com regularidade para caminhar e ativar a circulação. À noite especialmente procure elevar as pernas; termine o duche diário com água fria sobre as pernas e não descuide a alimentação, apostando em comidas com pouco sal. Para controlar a retenção dos líquidos também ajuda beber muita água.

Caso as grávidas consigam, Catarina Nunes sugere que utilizem meias de compressão que ajudam no alívio dos inchaços. Hoje em dia já se encontram modelos disponíveis no mercado com um aspeto elegante, confortáveis e eficazes, e que podem ser calçados com maior facilidade. O médico que acompanha a grávida pode e deve ajudá-la neste aspeto.

Outro ponto que contribui para minimizar o desconforto das pernas e pés inchados é o exercício físico. Sempre que possível, a grávida deverá praticar uma atividade física adequada ao seu estado. O simples caminhar, por exemplo, é recomendável durante os nove meses da gestação e não só no último trimestre. A hidroginástica e a natação são igualmente desportos aconselháveis para quem sofre de edemas, mas a grávida deverá esclarecer sempre junto do profissional de saúde que a acompanha qual a modalidade mais indicada atendendo ao seu historial.

Drenagem linfática

A fisioterapeuta Catarina Nunes refere ainda a possibilidade de a grávida fazer massagens, quer relaxantes quer de drenagem linfática. A massagem é uma aliada da futura mamã, mas deve ser realizada por profissionais especializados no atendimento a grávidas, uma vez que a drenagem linfática tem restrições durante a gravidez. Por exemplo, a região abdominal não deve ser massajada e não é recomendada antes dos três meses nem depois dos oito meses de gestação, salvo prescrição médica.

Apesar de ser comum durante a gravidez, é preciso estar atenta. O inchaço pode significar também complicações, nomeadamente a pré-eclampsia, uma doença específica das grávidas que provoca inchaço abrupto e aumento do peso corporal pelo excesso de água retida. Quando o edema for muito grave e excessivo deve procurar um médico para despistar problemas de saúde mais graves.

EDEMAS
Como evitar ou minimizar

. Faça exercício físico adequado à grávida de forma regular
. Faça uma alimentação saudável (reduza no sal)
. Beba água
. Evite manter-se sentada por períodos longos
. Não cruze as pernas ao sentar-se
. Eleve os pés sempre que possível
. Utilize meias de compressão para grávida
. No final do duche passe água fria sobre as pernas
. Faça massagens de drenagem linfática manual

Outros Artigos deste tema

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.