Viajar com o bebé em segurança

Escrito por: Iolanda Veríssimo
Com os depoimentos e revisão de: Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI)

Saiba como escolher e instalar corretamente a cadeirinha e garanta o cumprimento das regras de segurança rodoviária.

Viajar com o bebé em segurança class=

Os bebés são especialmente vulneráveis e, em caso de acidente rodoviário, estão sujeitos a um maior risco de lesões quando viajam sem cadeirinha ou numa cadeirinha mal instalada.O pescoço do bebé é muito frágil, o que o deixa mais suscetível a lesões graves na coluna cervical.

Além disso, a sua cabeça é grande e pesada relativamente ao resto do corpo. A cabeça de um bebé de nove meses pesa 25 por cento do peso total do seu corpo, enquanto a de um adulto representa cerca de 6 por cento de todo o corpo.

Os veículos automóveis não estão adaptados ao tamanho e idade das crianças, daí a necessidade de tomar medidas para proteger o bebé em viagem que tenham em consideração esta maior fragilidade dos bebés pequenos.

Saída da maternidade

A medida mais eficaz para garantir a segurança do seu filho em viagem é usar um Sistema de Retenção para Crianças (cadeirinha) homologado segundo as normas europeias (etiqueta E), e adaptado à idade, peso e estatura da criança.

O bebé nunca deve ir ao colo, mesmo que seja no banco de trás, apenas por alguns minutos. A maior parte dos acidentes rodoviários acontece dentro das localidades, a velocidades inferiores a 45 quilómetros por hora. Isto quer dizer que, mesmo nas viagens quotidianas ao supermercado, à escola, a casa de familiares, o risco de acidente não deixa de estar presente.

Por isso, se o transporte do bebé da maternidade para casa for feito de automóvel, nesse momento já deve dispor dos meios adequados para uma viagem segura. Para isso, deve começar a equacionar as questões de segurança ainda na gravidez e adquirir uma cadeirinha antes de o bebé nascer.

A primeira cadeirinha

O sistema de retenção mais indicado para os recém-nascidos e bebés pequenos é o ovo (cadeirinha correspondente ao grupo de peso 0 e 0+). Esta cadeirinha é preferível ao berço ou à alcofa, pois permite que o bebé fique aconchegado e não totalmente deitado. Quando o bebé viaja num plano completamente perpendicular ao carro fica mais desprotegido em relação a choques laterais.

O bebé deve viajar nesta cadeira até o mais tarde possível, uma vez que o ovo é mais fácil de transportar e dá menos azo a erros de instalação do que as cadeiras dos grupos seguintes. Pelo menos até atingir os 13 quilogramas (kg), ou enquanto a sua cabeça estiver bem apoiada nas costas da cadeira, o bebé pode viajar no ovo.

Airbag

Nunca se deve colocar o ovo num banco com o airbag frontal ativo. Para prevenir erros como este, e apesar de a cadeirinha poder ser instalada no lugar da frente, a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) recomenda que se usem sempre os lugares de trás, que se provou serem mais seguros, após análise de vários acidentes.

Grupos i e i/ii

Depois de ultrapassar o grupo 0 e 0+, os pais devem adquirir uma cadeira maior, continuando a instalá-la voltada para trás. Segundo a APSI, as cadeiras voltadas para trás atingem uma eficácia de 90 por cento na redução de traumatismos, face a 60 por cento nas cadeiras instaladas viradas para a frente. As cadeiras do grupo I compreendem os pesos entre 9 e 18 kg ou a altura máxima de 105 cm, e as cadeiras do grupo II englobam os pesos entre os 15 kg e os 25 kg.

Grupos iI/III e banco elevatório

Quando a criança tiver três/ quatro anos, já pode ser transportada numa cadeira virada para a frente. No caso do banco elevatório, embora este esteja homologado para crianças com mais de 15 kg, só deve ser utilizado depois de a criança ter oito ou nove anos.

Instalar e utilizar a cadeira

A instalação e utilização da cadeirinha deve respeitar as instruções do fabricante. É também essencial que se experimente a cadeira antes de a comprar. Ao colocar a criança na cadeira, os pais devem garantir que os cintos da cadeira ou do carro ficam bem esticados e juntos ao corpo (deve haver uma folga de apenas um dedo).

Cadeiras em segunda mão

Sempre que possível, os pais devem utilizar uma cadeira nova para cada criança, evitando assim a utilização de cadeiras em segunda mão, com modelos antigos e um historial que não se conhece.

Sistema isofix e nova norma i-size

O ISOFIX é um sistema de fixação da cadeira no veículo, composto por três pontos de apoio: dois localizados na parte inferior do assento do carro, e outro na parte traseira do assento. Com este sistema, deixa de ser necessário usar o cinto de segurança quando se instala a cadeira, o que facilita a instalação e evita erros na montagem.

Os veículos mais atuais já trazem instalado este sistema ISOFIX , um avanço no sentido de reforçar a segurança rodoviária das crianças. Através deste sistema, é ainda possível instalar no carro as cadeirinhas mais modernas, homologadas pelo Regulamento 129 (i-Size).

O regulamento em questão não só introduziu mais requisitos de segurança nos testes para aprovação das cadeirinhas, como definiu que a escolha do sistema de retenção adequado deve basear-se na estatura da criança, evitando erros e facilitando o processo de decisão dos pais relativamente às cadeirinhas.

Transporte de Brinquedos

Um dos cuidados que os pais devem ter quando viajam com o bebé de carro é o de colocar todos os objetos, nomeadamente os brinquedos, na bagageira do veículo. O bebé poderá levar um brinquedo junto dele, desde que seja leve e macio, sem arestas pontiagudas.

Autocarro, comboio e táxi

Apesar de o risco de acidentes ser menor nos transportes públicos, devem ser garantidos alguns cuidados quando se viaja com o bebé nestes meios. Nos autocarros e comboios, o bebé deve viajar sempre dentro do carrinho, sem sacos pendurados nas pegas e com as rodas travadas. O carrinho deve ser colocado na zona reservada a cadeiras de rodas, de maneira a que a criança viaje sempre virada para trás em relação ao movimento.

Nos casos em que não é possível transportar o bebé no carrinho, este deve ir ao colo de um adulto, encostado ao peito. Quando as viagens são mais longas, deve levar-se o ovo ou a cadeirinha de apoio. No caso dos táxis, quando não é possível levar o ovo ou pedir um táxi com cadeirinha, a criança deve viajar sentada, apenas com o cinto de segurança.

Sobre a APSI
A Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) é uma associação privada, sem fins lucrativos, que trabalha na promoção da segurança infantil em Portugal. Para além de ter sido uma das primeiras instituições no país a dedicar-se à prevenção de acidentes rodoviários com crianças, atualmente desenvolve ações de esclarecimento e sensibilização às grávidas e famílias com crianças pequenas. Os pais podem também receber apoio técnico personalizado nos centros de verificação de cadeirinhas, e esclarecer qualquer dúvida sobre segurança infantil e prevenção de acidentes através do e-mail apsi@apsi.org.pt.

Outros Artigos deste tema

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.