Suplementação com ácido fólico previne atrasos de linguagem nas crianças cujas mães têm epilepsia

A medicação para o controlo de crises epiléticas na gravidez pode aumentar o risco de atrasos no desenvolvimento da linguagem na criança. Contudo, a suplementação nutricional com ácido fólico durante a gestação reduz este risco para metade, de acordo com um novo estudo publicado na revista científica Neurology.

Suplementação com ácido fólico previne atrasos de linguagem nas crianças cujas mães têm epilepsia

De acordo com uma notícia publicada no portal Medical Xpress, este estudo norueguês analisou uma amostra de 335 crianças cujas mães tinham epilepsia e tomaram medicamentos para controlar a doença durante a gravidez. O estudo incluiu também 104 000 crianças cujas mães não sofriam de epilepsia.

"O risco de atraso na linguagem diminuiu para metade - o benefício do ácido fólico nesta situação é impressionante", sublinha Mitchell Kramer, médico ginecologista-obstetra.

O especialista refere ainda que é importante aconselhar as mulheres grávidas em geral para incluirem no seu plano alimentar a suplementação com ácido fólico. Contudo, esta recomendação é especialmente importante em mulheres que fazem medicação para a epilepsia.

A suplementação com ácido fólico pode ser decisiva para a maturação do sistema nervoso central do feto e para a redução do risco de problemas no desenvolvimento do tubo neural do bebé.

De acordo com a Direção-Geral de Saúde, o aporte de ácido fólico antes e durante a gravidez deve ser reforçado, sendo que uma alimentação saudável não é suficiente para manter níveis adequados desta vitamina. De acordo com a entidade de saúde, a suplementação com ácido fólico em 400 µg/dia deve ser iniciada pelo menos dois meses antes da data de interrupção do método contracetivo e manter-se ao longo de toda a gravidez. Nas grávidas com epilepsia, a dose de ácido fólico administrada pode ter de ser superior.

Últimas Notícias

Amamentação protege bebés de bactérias resistentes a antibióticos

Investigadores da Universidade de Helsínquia, na Finlândia, verificaram que crianças amamentadas por seis meses apresentam menor quantidade de bactérias resistentes a antibióticos, no intestino, do que crianças amamentadas durante menos tempo ou que não foram amamentadas de todo.

Cesarianas quase duplicaram em todo o mundo em 15 anos

Investigação aponta para um aumento significativo do parto por cesariana nos países mais ricos por razões não médicas.

Documentário mostra como a tecnologia permite que crianças surdas venham a ouvir normalmente

Atualmente as crianças com problemas de audição diagnosticados à nascença confundem-se tão bem com as crianças que ouvem bem, que a maioria das pessoas não se apercebe da existência de tantas crianças surdas, defendem especialistas.

Especialistas relembram perigos do consumo de álcool na gravidez

A propósito das comemorações do Dia Mundial para a Consciencialização sobre o Síndrome de Alcoolismo Fetal, especialistas internacionais relembraram as razões pelas quais as grávidas não devem consumir álcool durante o período de gestação. 

A importância de amamentar nos primeiros instantes de vida

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Unicef realçam a importância de amamentar o recém-nascido logo nos primeiros instantes de vida, avança o El País.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.