Sincronização dos relógios biológicos de mãe e bebé pode prevenir doenças

Um estudo publicado no Journal of Physiology sugere que os cuidados prestados pela mãe após o nascimento podem ter um impacto positivo no relógio biológico interno do bebé. Segundo a investigação, a redução de disfunções no relógio interno, que regula o sono, pode ajudar a prevenir doenças associadas ao estilo de vida, como doenças cardíacas e obesidade.

Sincronização dos relógios biológicos de mãe e bebé pode prevenir doenças

O organismo humano tem um relógio interno que regula o sono ao longo de um período de cerca de 24 horas, o denominado "ritmo circadiano". Este sistema sincroniza-se com o dia e com a noite, regendo-se pela alternância entre luz e escuridão.

A partir da observação de ratos de laboratório, um estudo conduzido pelo Instituto de Psicologia da Academia de Ciências Checa permitiu concluir que a prestação de cuidados maternos adequados, por parte da mãe biológica, pode ajudar as crias de ratinho geneticamente predispostas para o desenvolvimento de doenças a melhorarem o funcionamento do seu relógio biológico, diminuindo o risco de hipertensão arterial na idade adulta.

De acordo com Alena Sumova, uma das autoras do estudo, estes dados devem ser analisados em maior profundidade em estudos futuros, pois são relevantes para o desenvolvimento de novas terapias contra doenças associadas aos estilos de vida modernos.

«Estes resultados apontam para a possibilidade real de reduzir anomalias no relógio biológico da criança e, por conseguinte, limitar a progressão de doenças. A nossa investigação futura vai tentar compreender com maior detalhe como um sistema circadiano anormal contribui para a progressão de doenças. Acreditamos que esta investigação merece ser explorada no futuro, uma vez que pode fornecer novas terapias para doenças graves associadas ao estilo de vida», indica a especialista, num comunicado de imprensa.

Últimas Notícias

Amamentação protege bebés de bactérias resistentes a antibióticos

Investigadores da Universidade de Helsínquia, na Finlândia, verificaram que crianças amamentadas por seis meses apresentam menor quantidade de bactérias resistentes a antibióticos, no intestino, do que crianças amamentadas durante menos tempo ou que não foram amamentadas de todo.

Cesarianas quase duplicaram em todo o mundo em 15 anos

Investigação aponta para um aumento significativo do parto por cesariana nos países mais ricos por razões não médicas.

Documentário mostra como a tecnologia permite que crianças surdas venham a ouvir normalmente

Atualmente as crianças com problemas de audição diagnosticados à nascença confundem-se tão bem com as crianças que ouvem bem, que a maioria das pessoas não se apercebe da existência de tantas crianças surdas, defendem especialistas.

Especialistas relembram perigos do consumo de álcool na gravidez

A propósito das comemorações do Dia Mundial para a Consciencialização sobre o Síndrome de Alcoolismo Fetal, especialistas internacionais relembraram as razões pelas quais as grávidas não devem consumir álcool durante o período de gestação. 

A importância de amamentar nos primeiros instantes de vida

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Unicef realçam a importância de amamentar o recém-nascido logo nos primeiros instantes de vida, avança o El País.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.