Mães com excesso de peso mais propensas a interromper amamentação

As mães que apresentam excesso de peso têm maior probabilidade de interromper o aleitamento materno na primeira semana após o nascimento do bebé, indica um estudo desenvolvido pela London School of Economics and Political Science, no Reino Unido, e a Universidade de Auckland, na Nova Zelândia.

Mães com excesso de peso mais propensas a interromper amamentação

O estudo aponta ainda que, comparativamente com as mulheres classificadas com um peso normal, mesmo que continuem a amamentar após a primeira semana a seguir ao parto, as mães com excesso de peso têm menor probabilidade de continuar a amamentar por mais de quatro meses.

Segundo uma notícia publicada no portal de informação de saúde MedicalXpress, o estudo analisou uma amostra de 17 113 mães de crianças nascidas entre 2000 e 2002, no Reino Unido, concluindo que 70 por cento destas mães iniciaram o processo de aleitamento materno. Contudo, no caso das mães com excesso de peso, 26 por cento pararam de amamentar durante a primeira semana após o parto, enquanto nas mães com um peso saudável esta percentagem não ultrapassou os 18 por cento.

Da mesma maneira, 38 por cento das mães com um peso considerado normal continuaram a amamentar depois dos quatro meses. Nas mães com excesso de peso, esta percentagem foi de 32 por cento e nas mães cujo Índice de Massa Corporal (IMC) indica obesidade, apenas 27 por cento continuaram a amamentar.

A Organização Mundial da Saúde considera excesso de peso um IMC igual ou superior a 25, e obesidade um IMC igual ou acima dos 30.

Últimas Notícias

Amamentação protege bebés de bactérias resistentes a antibióticos

Investigadores da Universidade de Helsínquia, na Finlândia, verificaram que crianças amamentadas por seis meses apresentam menor quantidade de bactérias resistentes a antibióticos, no intestino, do que crianças amamentadas durante menos tempo ou que não foram amamentadas de todo.

Cesarianas quase duplicaram em todo o mundo em 15 anos

Investigação aponta para um aumento significativo do parto por cesariana nos países mais ricos por razões não médicas.

Documentário mostra como a tecnologia permite que crianças surdas venham a ouvir normalmente

Atualmente as crianças com problemas de audição diagnosticados à nascença confundem-se tão bem com as crianças que ouvem bem, que a maioria das pessoas não se apercebe da existência de tantas crianças surdas, defendem especialistas.

Especialistas relembram perigos do consumo de álcool na gravidez

A propósito das comemorações do Dia Mundial para a Consciencialização sobre o Síndrome de Alcoolismo Fetal, especialistas internacionais relembraram as razões pelas quais as grávidas não devem consumir álcool durante o período de gestação. 

A importância de amamentar nos primeiros instantes de vida

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Unicef realçam a importância de amamentar o recém-nascido logo nos primeiros instantes de vida, avança o El País.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.