Estudo reforça benefícios do exercício físico na gravidez

Investigação sublinha que o exercício é benéfico não apenas para mulheres saudáveis e ativas, como pode ser uma boa oportunidade para adotar um estilo de vida mais saudável.

Estudo reforça benefícios do exercício físico na gravidez

Um estudo publicado no Journal of American Medicine Association (JAMA) identificou novas evidências dos benefícios da prática de exercício físico durante a gravidez.

Segundo uma notícia publicada no portal Science Daily, os investigadores realçam a importância da prática de atividade física não apenas em mulheres que já eram ativas antes de engravidar, mas também em mulheres mais sedentárias.

Os investigadores sublinham o facto de a gravidez ser uma boa oportunidade para adquirir hábitos saudáveis, nomeadamente iniciando a prática de exercício físico, quando não há contraindicações médicas.

"A percentagem de mulheres que vai ao encontro das recomendações de exercício físico durante a gravidez é muito baixa (...) Isto deve-se, em parte, à incerteza sobre o tipo de exercício que deve ser recomendado e o que deve ser evitado", explicou María Perales, principal autora do estudo e investigadora no Departamento de Atividade Física e Ciências do Desporto da Camilo José Cela University (UCJC), em Espanha.

Face a este tipo de dúvidas, são confirmadas as evidências científicas que provam que o exercício físico moderado durante a gravidez é seguro e benéfico tanto para a grávida como para o bebé.

A atividade física moderada ajuda a prevenir o ganho de peso excessivo, o risco de macrossomia fetal (quando os bebés nascem com mais de quatro quilos); a pré-eclâmpsia (tensão arterial alta durante a gravidez); a diabetes gestacional; parto por cesariana; dor de costas; dor pélvica e incontinência urinária.

Exercícios recomendados

O estudo em destaque está em sintonia com as recomendações oficiais do American College of Obstetricians and Gynecologists, que aconselha a combinação de exercícios aeróbicos e treino de força, com uma duração de 45 a 65 minutos, entre três a quatro dias por semana. A intensidade dos exercícios deve ser moderada e adaptada às características individuais de cada grávida. A prática de atividade física pode ter início entre as nove e 12 semanas de gestação e prolongar-se até às 38-39 semanas de gravidez.

Últimas Notícias

Gesticular estimula pensamento criativo na criança

Estudo da revista científica Psychological Science sugere que encorajar a criança a usar gestos enquanto pensa pode ajudá-la a desenvolver a criatividade.

Quase metade dos pais sentem-se deprimidos e ansiosos quando o bebé deixa os cuidados intensivos

Um estudo apresentado na conferência anual da Academia Americana de Pediatria indica que 45 por cento dos pais cujos filhos passam por uma unidade de cuidados intensivos experienciam sintomas de depressão pós-parto, ansiedade e stresse quando os recém-nascidos recebem alta do hospital.

Ácido fólico pode reduzir risco de autismo associado a pesticidas

Estudo realizado nos Estados Unidos da América demonstrou que as grávidas que tomam doses adequadas de ácido fólico no período concecional podem com isto reduzir o risco de autismo resultante da exposição a pesticidas.

Poluição atmosférica quase tão prejudicial para o bebé como o fumo do tabaco

Um estudo realizado pelas universidades de Edimburgo e Aberdeen, na Escócia, concluiu que a exposição da grávida à poluição do ar é tão prejudicial para o desenvolvimento do bebé como o facto de a mãe fumar durante a gravidez.

Hipertensão na gravidez pode prejudicar saúde cardiovascular da mãe

Um estudo publicado na revista científica Paediatric & Perinatal Epidemiology sugere que a hipertensão na gravidez está associada a um risco acrescido de doenças cardiovasculares mais tarde. 

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.