Estudo reforça benefícios do exercício físico na gravidez

Investigação sublinha que o exercício é benéfico não apenas para mulheres saudáveis e ativas, como pode ser uma boa oportunidade para adotar um estilo de vida mais saudável.

Estudo reforça benefícios do exercício físico na gravidez

Um estudo publicado no Journal of American Medicine Association (JAMA) identificou novas evidências dos benefícios da prática de exercício físico durante a gravidez.

Segundo uma notícia publicada no portal Science Daily, os investigadores realçam a importância da prática de atividade física não apenas em mulheres que já eram ativas antes de engravidar, mas também em mulheres mais sedentárias.

Os investigadores sublinham o facto de a gravidez ser uma boa oportunidade para adquirir hábitos saudáveis, nomeadamente iniciando a prática de exercício físico, quando não há contraindicações médicas.

"A percentagem de mulheres que vai ao encontro das recomendações de exercício físico durante a gravidez é muito baixa (...) Isto deve-se, em parte, à incerteza sobre o tipo de exercício que deve ser recomendado e o que deve ser evitado", explicou María Perales, principal autora do estudo e investigadora no Departamento de Atividade Física e Ciências do Desporto da Camilo José Cela University (UCJC), em Espanha.

Face a este tipo de dúvidas, são confirmadas as evidências científicas que provam que o exercício físico moderado durante a gravidez é seguro e benéfico tanto para a grávida como para o bebé.

A atividade física moderada ajuda a prevenir o ganho de peso excessivo, o risco de macrossomia fetal (quando os bebés nascem com mais de quatro quilos); a pré-eclâmpsia (tensão arterial alta durante a gravidez); a diabetes gestacional; parto por cesariana; dor de costas; dor pélvica e incontinência urinária.

Exercícios recomendados

O estudo em destaque está em sintonia com as recomendações oficiais do American College of Obstetricians and Gynecologists, que aconselha a combinação de exercícios aeróbicos e treino de força, com uma duração de 45 a 65 minutos, entre três a quatro dias por semana. A intensidade dos exercícios deve ser moderada e adaptada às características individuais de cada grávida. A prática de atividade física pode ter início entre as nove e 12 semanas de gestação e prolongar-se até às 38-39 semanas de gravidez.

Últimas Notícias

Peso anterior à gravidez pode influenciar desenvolvimento neurológico da criança

Uma análise aos resultados de 40 estudos científicos sugere que as crianças cujas mães apresentavam excesso de peso ou obesidade antes de engravidar têm um risco superior de ver o seu desenvolvimento neurológico comprometido, comparativamente com as crianças cujas mães tinham um peso normal antes da gestação.

Leite materno protege bebé contra alergias alimentares

O aleitamento materno permite a transferência para o bebé de anticorpos desenvolvidos pela mãe graças ao consumo de alimentos alergénios. A conclusão resulta de um estudo cujos resultados foram publicados no Journal of Experimental Medicine, e rejeita assim a tese de que as mulheres devem evitar alimentos alergénios durante a gravidez e período de amamentação.

Pais com depressão pós-parto pedem menos ajuda do que as mães

Os pais podem desenvolver depressão pós-parto tal como as mães, mas existe uma maior probabilidade de os sintomas passarem despercebidos e de não pedirem ajuda. Esta é a conclusão de um estudo publicado no Scandinavian Journal of Psychology, com cerca de 450 pais suecos.

Retirar dispositivos digitais do quarto melhora sono da criança

Remover todos os dispositivos eletrónicos do quarto onde a criança dorme pode melhorar a qualidade do seu sono, indica um artigo publicado na revista científica Pediatrics.

Concerto Solidário ‘A Segurança Faz-se Ouvir’

A Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) comemora 25 anos e vai realizar no dia 19 de novembro um Concerto Solidário para assinalar esta data junto das famílias.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.