Estudo identifica hormona que pode dar suporte a fase inicial da gravidez

Investigação na área da fertilidade descobriu uma hormona que ajuda a preparar o revestimento do útero para a gravidez.

Estudo identifica hormona que pode dar suporte a fase inicial da gravidez

Cientistas da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, identificaram uma hormona que ajuda a dar suporte ao início da gravidez, contribuindo para a implantação de células primárias, uma etapa vital no momento em que um óvulo fertilizado adere às paredes do útero.

De acordo com uma notícia publicada no portal de notícias sobre ciência Science Daily, os cientistas analisaram os efeitos da hormona conhecida como DHEA (dehidroepiandrosterona) em tecido doado por mulheres com uma média de 40 anos.

Os resultados das análises permitiram verificar que tratar as células do revestimento uterino com DHEA duplicou o nível de proteínas-chave ligadas à implantação saudável no tecido.

O estudo, cujos resultados foram publicados na revista científica Fertility and Sterility, concluiu ainda que o tratamento com DHEA também aumentou a produção de androgénios ativos - hormonas presentes em grande quantidade no homem - sugerindo que estes podem estar na base desta melhoria.

Contudo, a equipa de investigação alerta para o facto de serem necessários mais estudos para averiguar se tratamentos com base na DHEA podem ajudar mulheres com problemas de fertilidade.

«Um ovo fertilizado será implantado apenas se tiver condições e estamos entusiasmados por ver que a DHEA e androgénios podem ajudar a melhorar este ambiente nas células. Os resultados ajudar-nos-ão a desenvolver estudos para possíveis terapias, mas mais investigação será necessária antes de podermos dizer que esta abordagem pode ser usada por mulheres que estão a ter dificuldades em engravidar», sublinha Douglas Gibson, investigador do MRC Centre for Inflammation Research, da Universidade de Edimburgo, e principal autor do estudo.

Últimas Notícias

Mães com excesso de peso mais propensas a interromper amamentação

As mães que apresentam excesso de peso têm maior probabilidade de interromper o aleitamento materno na primeira semana após o nascimento do bebé, indica um estudo desenvolvido pela London School of Economics and Political Science, no Reino Unido, e a Universidade de Auckland, na Nova Zelândia.

Por que motivo, durante a gravidez, os sonhos e os pesadelos são mais frequentes?

Os sonhos e os pesadelos durante a gravidez, principalmente durante o terceiro trimestre, tornam-se mais vívidos e frequentes, avança um artigo publicado no portal Live Science.

O sexo de bebé influencia complicações relacionadas com a gravidez

O sexo do bebé controla os níveis de pequenas moléculas também conhecidas como metabolitos no sangue da mulher grávida. Este facto poderá explicar por que motivo o risco de desenvolvimento de algumas doenças na gravidez variam dependendo de ser um menino ou uma menina.

“Testes do pezinho” revelam que houve mais 97 nascimentos no primeiro semestre deste ano

Dados apurados através do Programa Nacional de Diagnóstico Precoce, conhecido como "teste do pezinho", apontam para um aumento no número de nascimentos no primeiro semestre de 2018, em relação ao mesmo período de 2017.

Menor risco de obesidade nas crianças cujas mães têm estilo de vida saudável

Um estudo publicado no British Medical Journal (BMJ) sugere que as crianças cujas mães seguem um estilo de vida saudável têm menor probabilidade de desenvolver obesidade, em comparação com crianças cujas mães optam por um estilo de vida menos saudável.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.