Consumo de açúcar na gravidez associado a risco de alergia e asma na criança

Novo estudo publicado no European Respiratory Journal sugere que o elevado consumo de açúcar na gravidez pode conduzir a um maior risco de alergia e asma alérgica na criança durante a infância. Mais estudos serão necessários para comprovar esta relação.

Consumo de açúcar na gravidez associado a risco de alergia e asma na criança

Um estudo levado a cabo na Queen Mary University of London, em Londres, indica que as grávidas que consomem açúcar em doses elevadas podem com isso estar a aumentar o risco de alergias e asma nos seus filhos.

Segundo uma notícia publicada no portal MedicalXpress, a investigação analisou uma amostra de cerca de 9000 pares mães-filhos, baseando-se nos resultados de testes cutâneos a diversos alergéneos, realizados quando as crianças completaram sete anos de idade.

Depois de comparados os 20 por cento da amostra com maior consumo de açúcar com os 20 por cento com menor consumo de açúcar, foi possível verificar uma tendência para o aumento do risco de alergias e asma alérgica nas mães com maior consumo de açúcar, mais precisamente, um risco 38 por cento mais elevado no caso das alergias e 101 por cento mais alto relativamente à asma alérgica. Não foi demonstrada uma relação suficientemente forte entre o aumento do risco de asma no geral.

Mais estudos serão necessários para comprovar esta hipótese, e a mesma equipa de investigação tenciona testar se se a redução do consumo de açúcar no período de gestação pode prevenir a alergia e asma alérgica na criança. Até lá, os investigadores aconselham as mulheres a seguir as recomendações das autoridades de saúde e evitar o consumo excessivo de açúcar na gravidez.

Últimas Notícias

Gesticular estimula pensamento criativo na criança

Estudo da revista científica Psychological Science sugere que encorajar a criança a usar gestos enquanto pensa pode ajudá-la a desenvolver a criatividade.

Quase metade dos pais sentem-se deprimidos e ansiosos quando o bebé deixa os cuidados intensivos

Um estudo apresentado na conferência anual da Academia Americana de Pediatria indica que 45 por cento dos pais cujos filhos passam por uma unidade de cuidados intensivos experienciam sintomas de depressão pós-parto, ansiedade e stresse quando os recém-nascidos recebem alta do hospital.

Ácido fólico pode reduzir risco de autismo associado a pesticidas

Estudo realizado nos Estados Unidos da América demonstrou que as grávidas que tomam doses adequadas de ácido fólico no período concecional podem com isto reduzir o risco de autismo resultante da exposição a pesticidas.

Estudo reforça benefícios do exercício físico na gravidez

Investigação sublinha que o exercício é benéfico não apenas para mulheres saudáveis e ativas, como pode ser uma boa oportunidade para adotar um estilo de vida mais saudável.

Poluição atmosférica quase tão prejudicial para o bebé como o fumo do tabaco

Um estudo realizado pelas universidades de Edimburgo e Aberdeen, na Escócia, concluiu que a exposição da grávida à poluição do ar é tão prejudicial para o desenvolvimento do bebé como o facto de a mãe fumar durante a gravidez.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.