Cientistas desenvolvem chip que prevê risco de parto prematuro

Uma equipa de cientistas do National Institute of Biomedical Imaging and Bioengineering, nos Estados Unidos da América, desenvolveu um microchip que permite captar e identificar um péptido no sangue que pode ajudar a prever o risco acrescido de parto prematuro. 

Cientistas desenvolvem chip que prevê risco de parto prematuro

Um estudo na área da microfluídica - ciência e engenharia de sistemas com dimensões micrométricas - demonstrou que um novo microchip desenvolvido por uma equipa de cientistas National Institute of Biomedical Imaging and Bioengineering é capaz de prever o risco de parto prematuro.

Segundo uma notícia publicada no portal Science Daily, este sistema tem a capacidade de captar e identificar um péptido raro no sangue, denominado P1, que pode ser indicativo de inflamação, um dos principais fatores de risco de complicações na gravidez.

O microchip, que pode ter um impacto positivo significativo em termos de saúde pública, permitirá aos profissionais de saúde minorar os riscos do parto prematuro e tentar atrasar ao máximo o nascimento.

O estudo foi publicado na revista científica Electrophoresis.

O parto prematuro é a maior causa de morbilidade e mortalidade neonatal.

Últimas Notícias

Consumo excessivo de açúcar durante a gravidez poderá ter influência no desempenho cognitivo futuro da criança

O consumo de açúcar durante a gravidez poderá exercer uma influência negativa nas capacidades cognitivas da criança (memória e aprendizagem), avança um estudo publicado no American Journal of Preventive Medicine.

Metade das crianças na Europa não atinge potencial cognitivo por falta de iodo

Especialistas sublinham que na gravidez as mulheres devem aumentar a ingestão de iodo, fundamental para a produção das hormonas geradas pela glândula tiroide (hormonas tiroideias), essenciais para as várias etapas do metabolismo e desenvolvimento humano.

Estudo realça a importância de adotar um estilo de vida saudável antes da gravidez

Um estudo desenvolvido pela Universidade de Queensland aponta a necessidade das mulheres adotarem um estilo de vida mais saudável antes da gravidez.

Irregularidade nos hábitos de sono aumenta o risco de obesidade nos rapazes

De acordo com um comunicado de imprensa da Universidade de Coimbra, os maus hábitos de sono em crianças do sexo masculino podem aumentar o risco de excesso de peso ou obesidade.

Tomar antidepressivos durante a gravidez pode afetar o desenvolvimento cerebral do feto

A ingestão de antidepressivos durante a gravidez poderá interferir no normal desenvolvimento do cérebro do bebé, avançam investigadores do departamento de psiquiatria da Columbia University Medical Center, Nova Iorque.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.