Cientistas desenvolvem chip que prevê risco de parto prematuro

Uma equipa de cientistas do National Institute of Biomedical Imaging and Bioengineering, nos Estados Unidos da América, desenvolveu um microchip que permite captar e identificar um péptido no sangue que pode ajudar a prever o risco acrescido de parto prematuro. 

Cientistas desenvolvem chip que prevê risco de parto prematuro

Um estudo na área da microfluídica - ciência e engenharia de sistemas com dimensões micrométricas - demonstrou que um novo microchip desenvolvido por uma equipa de cientistas National Institute of Biomedical Imaging and Bioengineering é capaz de prever o risco de parto prematuro.

Segundo uma notícia publicada no portal Science Daily, este sistema tem a capacidade de captar e identificar um péptido raro no sangue, denominado P1, que pode ser indicativo de inflamação, um dos principais fatores de risco de complicações na gravidez.

O microchip, que pode ter um impacto positivo significativo em termos de saúde pública, permitirá aos profissionais de saúde minorar os riscos do parto prematuro e tentar atrasar ao máximo o nascimento.

O estudo foi publicado na revista científica Electrophoresis.

O parto prematuro é a maior causa de morbilidade e mortalidade neonatal.

Últimas Notícias

Ioga tão boa como fisioterapia no alívio da dor de costas

Um estudo publicado na revista científica Annals of Internal Medicine coloca a prática de ioga e as sessões de fisioterapia no mesmo patamar no que toca aos benefícios para a recuperação e redução da necessidade de analgésicos para alívio da dor de costas.

Maioria dos bebés prematuros têm boa performance escolar

Um estudo publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA) concluiu que os bebés prematuros - mesmo os que nascem com apenas 23 ou 24 semanas de gestação - estão preparados para começar o jardim-escola na idade prevista e têm uma performance escolar tão boa ou melhor que a de bebés de termo.

Consumo de açúcar na gravidez associado a risco de alergia e asma na criança

Novo estudo publicado no European Respiratory Journal sugere que o elevado consumo de açúcar na gravidez pode conduzir a um maior risco de alergia e asma alérgica na criança durante a infância. Mais estudos serão necessários para comprovar esta relação.

Recomendações de segurança sobre produtos para crianças

A Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) lançou um Guia Digital de Segurança em Produtos para Crianças que ajuda os consumidores na escolha e utilização adequada de artigos de puericultura e algum mobiliário para crianças.

Consumo de brócolos e ovos melhora performance escolar

O consumo de alimentos que contêm luteína - como os vegetais de folha verde, os brócolos ou a gema de ovo - pode contribuir para o sucesso escolar da criança, independentemente do nível de QI, indica estudo da Universidade de Illinois.

Subscreva a Newsletter

Receba informação semanal adaptada ao desenvolvimento da sua gravidez.